Análise: Chinese Democracy

chinese-democracy

Sabe quando você entra em um restaurante, faz o seu pedido, e leva uma eternidade para que ele dê as caras na sua mesa? Seja pelo cozinheiro que fica ensebando lá atrás, seja pelo garçom que perdeu o papel com a anotação do seu pedido, é fato: todo brasileiro acaba na obrigação de esperar mais do que o necessário pelo seu almoço em um restaurante.

Foi assim com Guns ‘N Roses: em 24 de novembro de 2008, o álbum Chinese Democracy, popularmente conhecido como “o disco eternamente adiado”, veio a público. E não da forma mais convencional: as músicas vazaram na internet poucos dias antes do lançamento oficial. E não foi nenhuma “especialidade da casa”.

A grande verdade é que, depois de mais de uma década de espera, Axl Rose (hoje o único “Gun and Rose” do grupo) resolveu lançar o prato principal que todos nós desejávamos, e vejam só que surpresa, ele veio frio, sem gosto, sem sal, totalmente destemperado.

axl_rose2Chinese Democracy não é um disco ruim, ele só não é Guns ‘n Roses, e não, não digo isso por achar que seria como antigamente: Slash não quer ver Axl nem pintado, e ao lado de Duff e Matt, está ocupado demais tentando achar um novo vocalista para o Velvet Revolver (esse sim, um banco de quase cinquentões que pode dar certo). Não tem aquela alma, aquela vontade, aquela pegada hardcore que caracterizou Axl Rose, hoje com tererê no cabelo, como um dos mais influentes vocalistas do mundo.

Esperávamos um arrasa-quarteirão, mas ganhamos de Natal um disco que não consegue nem derrubar um tijolinho de praça em reforma. A constante troca de músicos, aliada à espera e todo o hype que o próprio Axl fez o desfavor de criar em cima do disco, contribuiu para que quem fosse mais chato (leia eu) caísse de braço, criticando um trabalho que não só poderia, mas deveria ter saído melhor.

O disco está até mesmo proibido de rodar na China, por motivos que não me cabem falar aqui. Pelo andar da carruagem, é seguro dizer que a espera ainda vai continuar…

Anúncios

1 comentário

  1. Pingback: Como matar uma franquia - passos rápidos para o sucesso! « Chambinho Azedo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s