Meu casamento com o DropBox chegou ao fim [UPDÊITE]

Você está em par com a chamada cloud computing? Está atualizado sobre o assunto? Sim? Ótimo, então vamos lá que hoje a coisa é quente e longa. Faça o favor de clicar abaixo e prepare um café: vou escrever pacas.

Alguém aí conhece o DropBox? Trata-se de um serviço de upload de arquivos que permite, entre outras coisas, criar um backup virtual de seu material preferido, seja ele música, e-books, planilhas, textos, apresentações – enfim, uma multitude de arquivos e extensões que, sendo esse seu desejo, estarão resguardados “na nuvem”, onde o DropBox hospeda seus servidores e mantém os arquivos que recebe.

Ou, pelo menos, era assim até o começo dessa semana…

Recentemente, o DropBox anunciou parceria com o Facebook. Aqui, vale um insight: para alguém ser efetivamente parceiro do “Face”, é necessário que esse candidato se abstenha de suas normas e adote aquelas da rede social. Em termos resumidos, “eu sou maior do que você, então é a minha opinião que vale”. Sei que não parece algo agradável de se ouvir, mas isso é normal e, na maioria dos casos, melhor. Não há dúvidas de que o Facebook é uma empresa bem estruturada e suas políticas, mesmo a quem não gosta, funcionam.

A questão é: adotando as normas do Facebook, o DropBox, automaticamente e sem aviso prévio, passou a “ter direitos” gritantes sobre o material que você jogar dentro dele. Quer entender? Trago o próprio para falar a respeito, via os novos, revisados e não comunicados termos de uso da ferramenta (veja texto na íntegra, em inglês, aqui):

(…) você confere a nós (e a todos aqueles que conosco trabalham para garantirmos este serviço) direitos não-exclusivos, livres de royalties, mundiais e sublocados de uso, cópia, distribuição, preparação de trabalhos derivativos (como tranduções e conversões de formato), atuação, ou exibição pública desse material à extensão razoavelmente necessária para o serviço

Trocando em miudos: qualquer coisa que você lançar dentro da sua conta do DropBox agora pertence a eles – e eles poderão usar o material da forma que bem quiserem, sem pagar a você, autor/dono/proprietário, seus devidos direitos. Em suma: se eles venderem ações publicitárias de qualquer espécie, você não terá parte da receita gerada por isso. É o mesmo que alguém ganhar dinheiro com esse texto, sem me dar o crédito pela autoria.

“Ah, mas hoje em dia, tudo se copia. É raro ver alguém criar alguma coisa”. Justo, levando em consideração apenas o escopo brasileiro, onde praticamente tudo o que temos é baixado da internet sem o devido crédito – remunerado ou não – a direitos autorais (leia música, videoclipes, filmes de cinema e pornô – é, sacanagem também é propriedade intelectual, sabia?). Mas leve em conta que o DropBox é uma oferta mundial de hospedagem de arquivos. Sabia que tem muito designer e desenhista por aí que não curte o DeviantART e prefere jogar as coisas que cria no DropBox? E se a arte que ilustra um anúncio é, na verdade, aquele seu desenho original que consumiu meses do seu tempo para ser criado e finalizado? Já pensou nisso?

É aí que entram, de novo, os novos termos de uso do DropBox:

Você deve se certificar de ser proprietário dos direitos que nós necessitamos para nos garantir essa permissão

Ou seja, se você fizer o upload de QUALQUER COISA QUE VOCÊ COMPROU LEGALMENTE PARA SEU USO EXCLUSIVO E PESSOAL no DropBox, estará cometendo um crime. Vamos dizer que você apenas usa o DropBox para fins de backup: ter um ponto-chave para restaurar seus arquivos no caso de uma necessidade do tipo “formatei meu HD e quero meus filmes pornô de volta”. Ao fazer o upload desses arquivos no serviço, você estará garantindo ao DropBox direitos de uso de uma propriedade intelectual que você na verdade não tem. Traduzindo em termos brasileiros: “P-I-R-A-T-A-R-I-A”. Aí sim, hein?

Não sou formado em Direito (ou “formado”, propriamente dito), mas entendo o suficiente de alguns códigos constitucionais para imaginar que, disso, o único resultado possível é encrenca. Da grossa. Daquelas bem feias, sabe? Até onde sei, isso seria causa ganha para qualquer usuário que resolvesse processar o Dropox (tipo os designers e desenhistas que falei cinco parágrafos atrás). Mas, honestamente, eu não quero ser a cobaia disso. Cancelei minha conta no DropBox hoje de manhã.

“Falou aí”, DropBox. Você foi meu melhor amigo durante anos e já me salvou de muitas enrascadas. Só Deus sabe o quanto eu me ajoelhei e agradeci por ter os meus arquivos mais importantes em seus servidores em momentos de crise. Diabos, quando meu HD queimou, dei risada na cara do destino quando lembrei que meu backup era virtual. Ri mais ainda quando vi a facilidade que foi pegar tudo de volta.

Mas, como um casamento que se deteriora com o tempo e causa a mudança na personalidade de seu cônjuge, você já não é mais o mesmo, então acabou o amor. Vá, e não volte.

[UPDÊITE – 12/7/2011, 11:13] O DropBox revisou e atualizou os termos de uso do usuário. Seguem aspas traduzidas abaixo:

Ao usar nossos serviços, você nos provê de informação, arqivos e pastas que você inscreve no DropBox (traduzindo, “suas coisas”). Você mantém total propriedade de suas coisas. Nós não exigimos nenhuma propriedade sobre elas. Esses Termos não nos garantem nenhum direito sobre suas coisas ou nenhuma propriedade intelectual, salvo aquelas necessárias para manter o serviço funcionando, conforme explicado abaixo…

Daí o texto, bem longo (íntegra aqui, em inglês), passa a explicar quais seriam as “propriedades necessárias” (tradução, conversão de formato etc.). Bom, dos males o menor: se você se sente seguro, reative a sua conta. Embora eu reconheça a utilidade do DropBox como backup virtual, também reconheço que existem outras opções. Não volto a usar esse serviço tão cedo.

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s